Uncategorized

A necessária reinvenção para fugir do ostracismo

on agosto 4, 2017 Comentários desativados em A necessária reinvenção para fugir do ostracismo

ICQ, MSN, Orkut, MySpace e taantos outros aplicativos e redes sociais já passaram por nós desde o nascimento e boom da internet, nos anos 90. Uns se foram, outros ficaram, e uns ainda tiveram que inovar na reinvenção para não sumir do mapa de vez.

Desta vez, quem está na corda bamba é o Twitter. Afinal, os últimos resultados financeiros não são animadores, com uma perda dee US$ 116 milhões no último trimestre, número superior às perdas do mesmo período de 2016.

Posts impulsionados

Então, secretamente, tem testado publicações premium, com maior alcance e com a ajuda de usuários profissionais. Segundo Matt Navarra, usuário da rede social, a plataforma de anúncios do Twitter passou a oferecer a nova modalidade em fase beta para um pequeno grupo de usuários. A ideia é que, mediante o pagamento de US$ 99 mensais, o usuário tenha suas publicações promovidas automaticamente no microblog.

Ampliando horizontes

Para não cair no ostracismo e, consequentemente, na extinção, as empresas precisam inovar suas estratégias. As ofertas de publicidade, como as do Twitter, são um caminho, pois já permitem que empresas e usuários possam promover seus tweets para um público mais amplo.

Saber o que os usuários querem, conhecendo o perfil dos internautas, também faz com que alternativas eficientes elevem os gráficos de evolução das empresas. No Twitter, por enquanto, os usuários convidados da versão beta podem utilizar o novo serviço gratuitamente pelo período de 30 dias para só depois começarem a pagar o valor mensal.

E você, o que tem feito pela sua empresa para que ela não suma do mapa?

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoA necessária reinvenção para fugir do ostracismo

Dark web: o subsolo da internet e seus riscos

on agosto 3, 2017 Comentários desativados em Dark web: o subsolo da internet e seus riscos

Você tem acesso a tudo que o Google oferece e já acha que não existe nada impossível de encontrar na web, certo? Pois muita gente ainda não sabe da existência da dark web, considerada uma área mais obscura da internet.

Só a ponta do iceberg

Ali, muitas controvérsias, páginas proibidas e que vai muito além da superfície do que se vê, como uma espécie de iceberg, onde apenas 10% fica sobre a água e os outros 90% debaixo dela. A dark web faz parte da deep web, que tem sites que não são indexados pelos mecanismos de busca. A dark web, entretanto, não é acessada por meios convencionais.

Para isso, são necessários programas de P2P (peer-to-peer), como as populares redes Tor, I2P e Freenet, por exemplo, que são operadas por indivíduos ou organizações públicas — diferentemente do Google, que é um serviço de uma empresa privada.

Anonimato, sempre

Na dark web, o anonimato é cartão de visita, com acesso a atividades ilegais como venda de drogas e armas de fogo, venda de dados roubados e outras coisas do tipo. Mas também há muita coisa interessante: foi justamente na dark web que Edward Snowden expôs informações confidenciais do governo dos Estados Unidos que acabaram rodando o mundo.

Cuidado com os riscos

Lá está o Hidden Wiki, diretório de sites mais conhecido da dark web, e cada acesso – caso o internauta decida se arriscar – merece atenção especial: como a rede ali não é censurada, existe de tudo um pouco. E, por isso, governos de todo o mundo conseguem monitorar o Tor para realizar investigações criminais e derrubar sites que oferecem atividades ilegais. Portanto, você é o único responsável pelo que fizer na dark web. Se você ficar tentado em comprar alguma coisa ilegal por lá, saiba que, a qualquer momento, você pode ser investigado.

Isso sem contar que malwares e vulnerabilidades de segurança ficam escondidos em sites, prontinhos para se manifestar com os mais desavisados. Portanto, se você for apenas um curioso se aventurando no universo da internet obscura, pode ser interessante criar uma máquina virtual para o acesso, ou, ainda, utilizar um computador diferente daquele que você usa em seu dia a dia.

leia mais
Andressa NascimentoDark web: o subsolo da internet e seus riscos

SEO: Como se tornar atrativo no Google

on junho 26, 2017 Comentários desativados em SEO: Como se tornar atrativo no Google

Todo mundo que cria o seu negócio na internet se pergunta como pode ter os melhores resultados, alavancar vendas e se tornar visível para seu público alvo, especialmente nos sites de busca, como o Google. Já comentamos aqui algumas vezes sobre o SEO, mas é importante frisar a necessidade deste trabalho nos dias de hoje – ainda mais se compararmos a quantidade de conteúdos orgânicos similares aos nossos e a quantidade de links patrocinados realizados diariamente.

A verdade é uma só: Todo mundo concorre pelo mesmo espaço e a menos que você seja completamente inovador com algum serviço / produto, você vai ter que tomar um chá de paciência e seguir todos os passos para que seu negócio chegue às famosas primeiras páginas do Google.

Afinal, o que adianta ter um produto bom e um bom serviço se você não é encontrado na internet?

A estratégia de SEO visa melhorar a visibilidade do seu site e o seu posicionamento no Google.

Textos jornalísticos não possuem o mesmo resultado para SEO

Esqueça tudo que você já viu nos veículos tradicionais e, se for jornalista, não insista na estrutura do texto clássico, com palavras que não são repetidas, títulos grandes e explicativos. A estrutura para SEO é completamente diferente.

Em primeiro lugar, o título deve ser curto e conter as palavras chave – especialmente no início do texto. Em segundo lugar, ainda que seu título seja levemente longo, a URL da página deverá ser coerente, informativa e também curta. É uma maneira mais fácil de indexar o assunto nos buscadores.

Palavra-chave no SEO

A palavra-chave é, talvez, o ponto mais importante da estratégia do SEO. É com ela que o seu texto indicará ao Google que ele é relevante e que deve aparecer entre os primeiros links na realização da busca. Escrever pelo menos três vezes a palavra chave e colocá-la em subtítulos é fundamental.

No entanto, não basta deixar a coisa mecânica e apostar apenas na palavra-chave. É preciso ser coerente e ter descrição e textos caprichados, de modo que quem leia consiga se convencer de que o que você está falando é realmente relevante.

Otimização Geral

Não apenas os textos devem ser otimizados com características voltadas para o SEO. É importante, também, adaptar o conteúdo do seu site para dispositivos móveis, afinal atualmente, segundo a ComScore, passamos diariamente pelo menos 3h diárias conectados em dispositivos móveis, o que significa que existe uma boa chance de seu consumidor te procurar utilizando tablets ou smartphones.

Site e blog sempre atualizados

No mais, é importantíssimo manter os plugins do seu site e blog atualizados para evitar ciberataques e perda de dados para criminosos virtuais.

leia mais
Andressa NascimentoSEO: Como se tornar atrativo no Google

Fundo de crédito de R$ 200 mi para pequenas e médias empresas

on Abril 28, 2017 Comentários desativados em Fundo de crédito de R$ 200 mi para pequenas e médias empresas

Sua empresa tem faturamento anual de até R$ 90 milhões? Pois o BNDESPAR, fundo de participações do BNDES, anunciou o lançamento de um fundo de crédito para apoiar pequenas e médias empresas (MPMEs) inovadoras.

Áreas e distribuição

Instituições que atuam nos setores de tecnologia da informação, novos materiais, biotecnologia, nanotecnologia e audiovisual têm preferência no benefício. O fundo de participações deverá investir até R$ 80 milhões, limitados a uma participação máxima de 50% no patrimônio total do fundo, que pode chegar a R$ 200 milhões. Já os demais recursos serão captados junto a outros investidores.

Fundo de crédito para MPMEs

Para o BNDES, a iniciativa busca estruturar uma nova forma de apoio à inovação e às MPMEs, contribuindo para o desenvolvimento do mercado de capitais nacional, além de oferecer a investidores uma nova classe de ativos, incentivar gestores especializados a atuar com foco em crédito de longo prazo para tais pequenas

Considerando as experiências internacionais do mercado, a iniciativa pode alcançar até R$ 1 bilhão no Brasil!

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoFundo de crédito de R$ 200 mi para pequenas e médias empresas

Análise de dados em prol da satisfação do cliente

on Abril 14, 2017 Comentários desativados em Análise de dados em prol da satisfação do cliente

“Servimos bem para servir sempre”. Provavelmente, você já leu esta frase, muito estampada em saquinhos de certos estabelecimentos e que traz uma verdade universal, especialmente nos dias de hoje.

Com uma quantidade cada vez maior de empresas – inclusive pelo surgimentos de pequenos empreendedores e um leque de segmentação sem limites – fidelizar o cliente nunca esteve tão em alta. Se até “roubar” o cliente de concorrentes já é uma vitória, imagine a importância de se manter um consumidor de longa data? Com o crescimento contínuo nas vendas pela web, inclusive, conhecer cada vez melhor o cliente é um ponto a mais diante dos seus adversário profissionais.

Confira algumas dicas de análise de dados:

– Melhorar a experiência de compra e agregar valor real ao processo de venda

– Colocar o consumidor, a peça-chave do negócio, em primeiro lugar

– Definir estratégias de precificação, promoção e comunicação

– Criar programas de fidelidade que tragam benefícios aos clientes, estimulando que ele retorne à sua empresa e fortalecça cada vez mais essa relação

– Analisar histórico de compras e determinar o que o cliente mais consome

– Investir em iniciativas de marketing, como cupons promocionais ou conteúdos exclusivos

– Fazer uma análise avançada dos dados dos consumidores, buscando os padrões e, assim, identificar e tratar aquilo que é considerado “fora do padrão”. Ou seja, o que pode representar um insight de negócio importante

– Se especializar em um atendimento emocional, interessado. Lembra da célebre frase “vai o de sempre hoje, Dona Maria?”, dita pelo pequeno empresário aos nossos avós e até a nossas mães?

– Ao se adiantar no que o cliente vai escolher, além de poupar tempo a ele, fica ainda mais forte esta relação de empatia consumidor/empresa. Mente livre e mais familiarizada ajuda a reforçar vínculos

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoAnálise de dados em prol da satisfação do cliente

Os cuidados com o atendimento via Whatsapp

on Janeiro 24, 2017 Comentários desativados em Os cuidados com o atendimento via Whatsapp

Muitas empresas tem adotado o Whatsapp como ferramenta de comunicação com o cliente. Isto pode ser bom, porém também pode gerar danos se não utilizado corretamente. Ainda que pensemos que o aplicativo é simples e não possui burocracias, que for dito ali dentro pode ser usado contra você.

O resultado disso? Alguns brasileiros que se sentiram ofendidos com conversas no aplicativo já chegaram a processar ofensores e as indenizações já chegaram a cerca de R$13 mil.

Segundo o G1, desde que o Marco Civil da Internet entrou em vigor em 2015, as empresas já deixaram de ser responsabilizadas judicialmente pelo conteúdo publicado por usuários e só passam a ser alvo se descumprirem determinações da Justiça.

No entanto, e se algum problema acontecer no próprio whatsapp da empresa? Sim, o ofendido poderá sim processá-los. Inclusive se as conversas forem internas, entre chefes e funcionários.

A publicação destacou um caso que aconteceu em Santa Catarina, em uma loja de artigos esportivos. Uma funcionária alegou ser xingada constantemente pelo chefe em mensagens compartilhadas em grupo com outros funcionários, o que a constrangia publicamente. Na ocasião, a marca teve de pagar R$13 mil para a moça.

Portanto, é preciso sim ter cuidado com o Whatsapp, tanto internamente quanto externamente, em contato com clientes. Uma palavra em falso e uma reputação pode cair pelas tabelas.

Fonte: G1 – http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/ofensas-pelo-whatsapp-rendem-ate-r-13-mil-de-indenizacao-na-justica-veja-casos.ghtml

leia mais
Andressa NascimentoOs cuidados com o atendimento via Whatsapp

Mídias Sociais: O posicionamento das marcas diante dos consumidores

on agosto 23, 2016 Comentários desativados em Mídias Sociais: O posicionamento das marcas diante dos consumidores

Que as mídias sociais viraram a grande ponte entre as marcas e os consumidores finais, não temos dúvidas. Porém, muitos ainda se perguntam como se posicionar corretamente para evitar riscos de relacionamento e estreitar os laços com os possíveis clientes finais.

Para esclarecer algumas dúvidas, o Canal Tech divulgou um artigo que mostra como as empresas devem se comportar nas redes. Em primeiro lugar, destacaram que as companhias devem sempre se manter antenadas no que passa na internet. Novos jogos, memes, fatos e acontecimentos passam rápido pela timeline e aproveitar o momento pode gerar um bom engajamento nas páginas.

Em segundo lugar, o portal destaca o fortalecimento das amizades no âmbito virtual, pois quanto maior seu círculo, mais as postagens podem ser divulgadas e compartilhadas. Por último, eles frisam que todas as conquistas da empresa podem e devem ser valorizadas como forma de vitrine, seu cartão de visita para seu público. Tanto quanto eles estiverem fidelizados com a sua marca, vibrarão junto com as boas novas e dissiparão ainda mais o conteúdo.

Fonte – Canal Tech – http://canaltech.com.br/noticia/carreira/como-dar-um-upgrade-na-sua-marca-utilizando-as-midias-sociais-73499/

leia mais
Andressa NascimentoMídias Sociais: O posicionamento das marcas diante dos consumidores