Marketing Digital

O que é Inbound Marketing

on outubro 21, 2018 Comentários desativados em O que é Inbound Marketing

Inbound Marketing é o conjunto de estratégias de marketing que visam atrair e converter clientes usando conteúdo relevante. Diferente do marketing tradicional, no Inbound Marketing a empresa não vai atrás de clientes, mas explora canais como mecanismos de busca, blogs, sites e redes sociais para ser encontrada.

O conceito de Inbound Marketing surgiu oficialmente nos Estados Unidos e começou a se popularizar a partir de 2009, após o lançamento do livro “Inbound Marketing: seja encontrado usando o Google, a mídia social e os blogs”, de Brian Halligan e Dharmesh Shah.

De lá para cá, o Inbound Marketing explodiu de vez, e a cada dia mais empresas de diferentes portes estão aderindo ao método para conquistar mais clientes, gerar mais vendas e reforçar sua autoridade perante a audiência.

Em uma tradução livre, o termo Inbound Marketing pode ser definido como marketing de atração. A principal diferença entre o marketing tradicional – que chamamos de Outbound Marketing – e o Inbound é que, no segundo, quem procura a empresa é o cliente e não o contrário.

No Inbound Marketing, é o cliente que procura pela empresa e não o contrário, ou seja, são realizadas ações com o intuito de atrair o potencial cliente para seu blog ou site e, a partir dessa atração, é feito todo um trabalho de relacionamento com essa pessoa. Esse relacionamento é desempenhado por meio de conteúdo personalizado e autoral.

Esse conteúdo é uma forma de educar a audiência e potenciais clientes sobre o segmento de sua empresa, transformar sua empresa em referência em determinado assunto relacionado a seu mercado e influenciar na decisão de compra de futuros clientes.

Muito importante ter em mente que você precisa fazer o desenvolvimento do site ou otimização da velocidade e SEO do site para ter resultados.

leia mais
htcO que é Inbound Marketing

O Cross-branding e as possibilidades no mundo digital

on março 22, 2018 Comentários desativados em O Cross-branding e as possibilidades no mundo digital

O que mais vemos, na atualidade, é grandes marcas fazendo parcerias para entregar um serviço mais completo para o consumidor esta é uma jogada de mestre, afinal as duas saem ganhando com a fidelidade do cliente. Isso é o que chamamos de Cross-branding.

Nesta semana, por exemplo, a Smiles e a Uber anunciaram uma parceria, em que o usuário compra créditos da companhia de mobilidade na plataforma do programa de milhas antes de usar o aplicativo e então contabilizar os pontos.

O sistema funciona normalmente como uma carteira virtual, tal qual como em créditos pré-pagos. A conversão será feita pela plataforma do Smiles. Cada real gasto em créditos da Uber se transforma em 3 milhas para usuários comuns e 4 milhas para os assinantes do Clube Smiles.. Isto, na verdade, não é novo: Recentemente a Cabify já realizou essa ação, porém em parceria com a Multiplus, outro programa de milhagem.

Saiba mais sobre esta parceria aqui. 

Em verdade, todos ganham com isso. Afinal, os clientes querem pagar menos e ter mais vantagens, é claro. E nesta corrida pela melhor fatia do mercado, vence quem consegue oferecer mais.

Cross-branding e a união da reputação

É claro que estamos falando, aqui, de quatro empresas com reputações já seladas no mercado. No entanto, é possível criar um cenário parecido com marcas pequenas.

Este pode ser o momento de alavancar a reputação da sua marca e fazer com que ela fique conhecida em âmbito digital. No entanto, não basta apenas fazer uma parceria. É preciso oferecer algo para o cliente, para que ele acredite que ser fiel às duas marcas pode ser bom para ele também.

Neste caso da Uber/Smiles e Cabify/Multiplus, o cliente soma pontos de milhagens, que podem se reverter em descontos de até 100% (caso ele tenha uma boa pontuação) em reservas de passagens aéreas, hotéis, locação de automóveis e afins. É o que a maioria das pessoas que mantém um programa de milhas, quer: descontos. Certo?

É preciso criar uma parceria interessante, com benefícios reais e fazer uma boa divulgação com marketing digital, incluindo redes sociais e e-mail marketing. Este é o gol de placa do momento e esta poderá ser a sua oportunidade de galgar seu espaço ao sol.

 

leia mais
Andressa NascimentoO Cross-branding e as possibilidades no mundo digital

Mudanças do Facebook e das estratégias de marketing digital

on janeiro 30, 2018 Comentários desativados em Mudanças do Facebook e das estratégias de marketing digital

Recentemente comentamos sobre as mudanças de algoritmo no Facebook, que visa reduzir a presença de posts de veículos de imprensa e de empresas nos feeds dos usuários. Na ocasião, inclusive, as ações da gigante de Mark Zuckerberg caíram consideravelmente e os diretores de marketing digital se preocuparam.

Muitas empresas já começaram a criar suas estratégias de migração para outras plataformas, reconsiderar budgets para investimento no Facebook e afins. O resumo é: todos ficaram seriamente preocupados – é para se ficar, afinal.

No entanto, existe uma saída interessante para este tema. Seguno o Canaltech, os pequenos influenciadores podem passar a gerar o engajamento que as marcas precisam. O veículo divulgou uma publicação do chefe de News Feed da rede social que explica que as páginas destas personalidades devem aparecer primeiro nos feeds.

Isso significa que cada pequeno influenciador, que tem um determinado nicho, vai poder conversar melhor com o seu público e ter um alcance maior e orgânico. Portanto, o foco agora pode ser voltado para essas pessoas.

Mudança na indústria do marketing digital

Esta mudança do Facebook deixou todos os diretores de marketing digital de cabelos em pé, afinal todas as estratégias criadas até hoje para as mídias cairão por terra. A ideia agora é apostar em nichos e ir direto ao alvo. Por um bom tempo aqueles grandes influenciadores cheios de seguidores eram a galinha dos ovos de ouro para as marcas. Agora o trabalho voltará a ser feito como de formiguinha, tentando alcançar passo a passo cada consumidor, cada leitor, cada cliente.

Se pensarmos friamente, essa sempre foi a ideia das redes sociais: conectar pessoas. Se você transforma este espaço num big streaming, a rede perde o foco. Cairemos no que sempre defendemos: as relações nas mídias são tão reais quanto virtuais. É preciso conservar isto e humanizar o seu negócio para alcançar o seu lugar ao sol.

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoMudanças do Facebook e das estratégias de marketing digital

Copa do Mundo: Ano para fazer o seu negócio crescer no mundo virtual

on janeiro 10, 2018 Comentários desativados em Copa do Mundo: Ano para fazer o seu negócio crescer no mundo virtual

Ano de Copa do Mundo e muitas marcas já começaram a se coçar. Este evento é muito esperado no mundo todo e, durante seu acontecimento, é o assunto mais comentado especialmente nas redes sociais. Por este motivo, é interessante colocar o departamento de marketing digital para trabalhar.

Marcas como Vivo, AmBev e Mcdonalds já anunciaram início de estratégias para aumento de engajamento no período. Segundo o Meio & Mensagem, que divulgou essa informação, é importante que as empresas se posicionem antes, durante e depois do campeonato.

Aproximação com o seu leitor

É claro que dependendo do foco da sua empresa, fica mais difícil falar sobre futebol. No entanto, é uma ótima maneira de se aproximar do leitor, especialmente se a sua marca for descontraída e tratar diretamente com o público, o chamado B2C.

Em ano de Copa do Mundo, até quem não acompanha futebol passa a acompanhar. Então se inteirar de resultados, chaves, posição do Brasil no campeonato, mostrar torcida e se mostrar a favor pode contar bons pontos.

Trazendo o seu universo para dentro da Copa do Mundo

É claro que muitas pessoas querem falar exclusivamente do campeonato. Mas por que não aproveitar a oportunidade e fazer uma ligação sutil do seu negócio com o universo do futebol? Por exemplo: A Vivo poderá utilizar o fato de ter uma boa internet para transmissão do streaming de jogos. Isso atrairá o público, de certa maneira, percebe? Afinal, nem todos poderão estar em casa, ou em um bar ou em qualquer lugar que tenha televisão para assistir.

Outra maneira interessante de conversar com o leitor é entrar na brincadeira e nos memes. Veja bem, o Brasil é o maior produtor de memes do mundo, na atualidade. Nós brincamos inclusive com coisas sérias.

 

Quando o Estado Islâmico ameaçou o Brasil, essa foi a resposta dos internautas

O mundo preocupado com uma possível terceira guerra mundial, enquanto o Brasil…

Portanto, entrar na brincadeira e se posicionar de maneira bem humorada pode render bons frutos.

Entrando na conversa dos gigantes

É claro que quando falamos de posicionamento das redes sociais, também queremos nos referir às oportunidades que são geradas pelas grandes empresas. Uma empresa de pequeno porte, por exemplo, pode não ter o mesmo engajamento diário que uma gigante. No entanto, pode tentar gerar conversa para atrair curiosos para a sua marca.

O importante, amigos, é aproveitar o momento para fazer o seu negócio crescer. As pessoas estão animadas, inflamadas e poderão aderir ao seu negócio – desde que você fale sua língua.

Fonte: Meio & Mensagem 

 

leia mais
Andressa NascimentoCopa do Mundo: Ano para fazer o seu negócio crescer no mundo virtual

Reputação digital: A dos outros pode custar a sua

on novembro 29, 2017 Comentários desativados em Reputação digital: A dos outros pode custar a sua

Não é de hoje que falamos em reputação digital e sua extrema importância aqui no blog. As redes sociais funcionam como um boca a boca, e a partir do momento que algo viraliza contra você ou contra o seu negócio, a crise pode ser brava. Quem enfrenta um turbilhão de coisas, hoje, é o YouTube.

Pedofilia e a reputação do YouTube

Tudo começou com uma conta de um pai solteiro, que ganhou popularidade no Youtube ao criar um canal com vídeos de suas filhas gritando de medo, tomando banho, fingindo ser bebês, vomitando, sendo forçadas a comer e fazendo xixi nas calças. As pessoas ficaram tão horrorizadas, que passaram a denunciar. O YouTube, neste caso, não se deu conta de que se tratava de um canal que expunha as crianças de uma maneira horrível. Muitos vídeos chegaram a ter aproximadamente 9 milhões de visualizações. Depois de muito embate, tiraram o canal do ar.

Você pode conferir o desenrolar da história aqui. 

Depois destes problemas, o YouTube se viu em outra cilada: empresas passaram a retirar sua publicidade da plataforma ao descobrirem que muitos vídeos apresentavam imagens de crianças pouco vestidas e sofrendo algum tipo de abuso ao lado de anúncios de marcas importantes.

Segundo o G1, nestes vídeos havia uma série de comentários de adultos assediando as crianças. Um vídeo com uma pré-adolescente usando uma camisola chegou a alcançar 6,5 milhões de visualizações.

Desculpas públicas

O YouTube chegou a se pronunciar, afirmando que estão trabalhando para corrigir o problema com urgência. Segundo o BuzzFeed, a empresa removeu publicidade de aproximadamente 2 milhões de vídeos e de mais de 50 mil canais disfarçados de conteúdo familiar. Mas o que não tem remédio, remediado está.

Por que falamos, afinal, da reputação dos outros que podem atingir a nossa? Porque quando prestamos serviços a outras marcas, é imprescindível a comunicação estar alinhada. Como já citamos algumas vezes, um deslize pode custar todo um trabalho de anos da empresa – A Uber que o diga.

Quando falamos de prestação de serviços, especialmente em âmbito digital, é imprescindível ter um monitoramento ativo 24h por dia, 7 dias por semana. Vamos esperar para ver o que vai ser do YouTube com tantas marcas dispensando o serviço de publicidade.

Fonte: G1

leia mais
Andressa NascimentoReputação digital: A dos outros pode custar a sua

E-Commerce: O seu negócio precisa ir para a internet

on agosto 25, 2017 Comentários desativados em E-Commerce: O seu negócio precisa ir para a internet

Nesta semana a Ebit apresentou uma pesquisa que deixa muito claro que a internet chegou para ficar em todos os aspectos, inclusive no seu negócio. Segundo o estudo, o e-commerce faturou pelo menos R$ 21 bilhões no primeiro semestre de 2017, o que representa um crescimento de 7,5% em comparação ao mesmo período no ano passado.

Segundo o Meio & Mensagem, um dos principais motivos deste crescimento ter acontecido foi a queda dos preços dos produtos comercializados na internet. Ainda de acordo com a publicação, houve pelo menos 5,38% de deflação nos últimos doze meses.

As pessoas acreditam no E-commerce

Claro que o fato de a economia ter melhorado impacta bastante no aumento dos pedidos online. No entanto, vale lembrar que pouco tempo atrás as pessoas não confiavam na internet. Até porque houve (ainda há) muitos casos de extorsão, estelionato, e fraudes. Mas a verdade é que as pessoas já se sentem mais seguras de colocar seus dados em um computador e realizar compras.

Este cenário é perfeito para quem pretende criar o seu negócio online, porque é possível, junto a estratégias de e-mail marketing e redes sociais, chegar mais próximo do seu futuro cliente.

Credibilidade posta à prova

Por este motivo sempre batemos na tecla de que é importante ter um trabalho sério com redes sociais; Assim, o seu conteúdo se dissipa e os consumidores passam a acreditar em você, se sentindo confortáveis para comprar em seu site.

Então, a dica que nós damos é: Transparência. Essa é a palavra de ordem para que haja identificação de público e você possa, sim, converter vendas e prosperar na internet.

Fonte: Meio & Mensagem

leia mais
Andressa NascimentoE-Commerce: O seu negócio precisa ir para a internet

Público: o segmentado vale mais do que o geral em muitos casos

on junho 14, 2017 Comentários desativados em Público: o segmentado vale mais do que o geral em muitos casos

Com as informações que se dissipam rapidamente pela internet, as marcas precisaram encontrar uma forma de falar com seu público – ou com vários públicos – de modo que todos se sintam representados e sintam afinidade de alguma forma. Com o marketing digital a mil, em que é necessário ter as melhores idéias em tempo recorde, é preciso sempre pensar no alvo e o que você quer levar com cada campanha.

Google e a Parada LGBT

O Google é um exemplo de segmentação. Alem de criar doodles interativos para cada tema comemorativo. Para este final de semana, que acontece a Parada LGBT, por exemplo, a gigante anunciou que vai destacar, em seu aplicativo Maps, o trajeto do evento com as cores do arco-íris (que representam o movimento).

Essa forma de indicar eventos especiais na ferramenta de mapeamento é uma tecnologia que nasceu no Brasil e começou a ser usada durante o Carnaval de 2017.

Como chegar no seu público

O fato é que o público quer ser representado, como dissemos acima. Atualmente, quanto mais focada sua comunicação for, mais resultado vai ter. Ainda que parte da sua audiência seja abdicada para tal. Afinal de contas, temos que enxergar as coisas como uma balança: um público segmentado menor às vezes é mais engajado do que um público geral maior, certo?

De qualquer forma, o ideal é sempre fazer um estudo sobre o que a sua marca quer, qual o conceito que ela tem e como ela deve levar isso para as pessoas.

Fonte: G1

leia mais
Andressa NascimentoPúblico: o segmentado vale mais do que o geral em muitos casos

A rapidez das informações no marketing digital

on junho 12, 2017 Comentários desativados em A rapidez das informações no marketing digital

Quando as notícias dos veículos começaram a ser veiculadas na internet, na própria transição o público – e os próprios repórteres – já foram entendendo que uma mudança muito grande de comportamento estava por vir. Hoje em dia não há mais uma apuração aprofundada de todo e qualquer tema que virá à publicação. Especialmente com as redes sociais em alta, muitas matérias e reportagens surgem a partir de simples posts. Aparentemente o mercado, o marketing digital acabou acordando para esta estratégia também. Hoje em dia, quem tem a melhor idéia mais rápido. Vimos um caso, nesta semana, que reflete bem o que estamos comentando. A Coca Cola anunciou uma Fanta sabor Guaraná. Bugou sua cabeça?

Aqui também bugou, já que 1) a Coca já tem suas marcas de Guaraná e 2) Sabe-se que aqui as Fantas de outros sabores nunca foram tão exploradas. Será uma nova estratégia da Coca?

Novas idéias atraem o consumidor

A verdade é que os produtos possuem vida útil. Manter uma marca, com tanto acesso às informações novas, é relativamente difícil. Um assunto pode estar no hype hoje e amanhã simplesmente desaparecer, como se nunca tivessem falado daquele tema. E aí, o que você faz? Senta e chora com todos os seus produtos na prateleira?

Tática de Mark Zuckerberg

Vamos te fazer uma pergunta simples: Por que o Facebook se tornou tão grande e inatingível? Porque, claro, você deve imaginar que todos os dias empresas bolam estratégias atrás de estratégias para tentar passar a gigante de Mark Zuckerberg.

O grande lance é simples: Ele tem uma equipe focada em criar coisas novas todos os dias para o Facebook. Para alguns usuários até soa como encheção de saco tanta mudança, mas a verdade é que se ele pensa que o jogo está ganho, ele vai tomar uma bolada de alguém e vai cair. Porque o mercado é assim, é cruel. Todo mundo é fiel até que apareça um melhor com melhores condições, percebe?

Cada minuto conta na corrida contra a concorrência

Encaremos os fatos: Com a internet e as possibilidades de viralizar memes e campanhas a todo momento, é imprescindível que as marcas sempre pensem em inovação. É preciso inovar, criar coisas novas, produtos novos, transformar aquele produto básico em outra coisa que vai encantar os consumidores. Só assim para manter uma marca sempre em pé. Porque não adianta ser o mais inovador de todos: Alguém vai querer te copiar. Vai querer pegar um pouco do seu sucesso. Portanto, mãos à obra!

leia mais
Andressa NascimentoA rapidez das informações no marketing digital

Google anuncia recurso de AdBlock e empresas já se preocupam

on junho 2, 2017 Comentários desativados em Google anuncia recurso de AdBlock e empresas já se preocupam

Muitas pessoas que não gostam de anúncios em suas buscas acabaram instalando uma extensão chamada AdBlock, que ficou super conhecida e popular. Como sabemos, as grandes empresas eventualmente abocanham as pequenas que começam a fazer sucesso e não foi diferente com o Google: a gigante das buscas anunciou que adicionará, em seu navegador, um bloqueador de anúncios – porém de uma forma diferente.

AdBlock do Google

Segundo o Canaltech, que divulgou a informação, o Google que transformar este “bloqueio de anúncios” em uma operação inteligente e não deixar que a extensão barre todo e qualquer tipo de publicidade. Apenas aquelas consideradas incômodas e intrusivas demais deverão sair da lista dos usuários, de acordo com seus gostos.

Ainda de acordo com a publicação, é possível que muitas empresas encarem esta nova atitude do Google um tanto arbitrária e possam vir a alegar que a gigante está querendo moldar à sua forma o modo como a publicidade roda nos navegadores. O recurso deve ficar disponível no início de 2018.

Expectativas

De fato, muitas empresas podem se incomodar com o fato de não ter a certeza de estar investindo corretamente no Google. No entanto, se olharmos por outro prisma, a partir de então será possível fazer anúncios mais segmentados e assertivos para o público. O que indicamos neste momento, é: um bom time de marketing e finanças para seguir na frente da concorrência neste lado pago da internet.

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoGoogle anuncia recurso de AdBlock e empresas já se preocupam

Sua empresa está preparada para a Transformação Digital?

on maio 1, 2017 Comentários desativados em Sua empresa está preparada para a Transformação Digital?

A transformação da Tecnologia da Informação é importante e cerca de 71% das empresas sabem disso. Porém, de acordo com um estudo da ESG em parceria com a Dell EMC, apenas 5% das corporações já estão preparadas para a Transformação Digital.

5 em cada 100 estão prontas

Na pesquisa, as organizações consultadas foram separadas em quatro grandes grupos (Transformadas, Em Evolução, Emergentes e Legadas), e apenas 5 em cada 100 se encaixam na categoria esperada (Transformadas).

Para uma maturidade tecnológica, com infraestruturas, processos e alinhamentos organizacionais adequados, é um caminho necessário para não ser deixado para trás pelos concorrentes. Outros 12% das empresas se encaixam entre as ‘Legadas’, ou seja, com pouquíssimo – ou nenhum – avanço nas questões relacionadas à transformação de TI. E a sua empresa, em que patamar está?

TI é lucro, não gasto

Para tal modernização na infraestrutura, o caminho não é fácil. São necessárias iniciativas nos processos e equipes. Entre as empresas que se consideram preparadas atualmente, atitudes como criação de produtos inovadores e em um menor prazo, automatização de processos e tarefas manuais e TI como centro de lucro – e não de custo – estão na lista.

Olá, Transformação Digital

Implementação, avaliação ou planejamento de adoção de tecnologias definidas por software fazem parte da adoção desses sistemas tecnológicos a longo prazo. Além disso, o levantamento provou que a transformação da TI tem levado a uma maior cooperação e relacionamento entre as áreas de TI e negócios. Portanto, é hora de dar as mãos e não largar mais, certo?

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoSua empresa está preparada para a Transformação Digital?