BLOG

CHN eletrônica: Nossa vida mais conectada

on agosto 17, 2017 Comentários desativados em CHN eletrônica: Nossa vida mais conectada

Falamos recentemente sobre as evoluções do mundo e como nos encaminhamos, cada vez mais, para uma vida mais conectada e dinâmica. Uma notícia vinda dos órgãos públicos pode ser um sinal disso: Em breve haverá implementação da Nova CNH eletrônica.

Segundo o Canaltech, a partir de 1o de fevereiro de 2018 os órgãos estaduais já devem começar a usar o novo sistema.

O que muda com a CNH Eletrônica?

Segundo o veículo, os motoristas poderão acessar o arquivo digital de sua CNH através de um app desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados. Os agentes de trânsito também terão seu trabalho facilitado, porque poderão usar o mesmo aplicativo para checar os dados dos documentos dos usuários. Além disso, como tudo se concentrará em um aplicativo, haverá a possibilidade de os motoristas não serem multados por esquecerem a CNH em casa.

Sistemas eletrônicos em todos os âmbitos

Não é difícil pensar que isso aconteceria mais dia, menos dia. Afinal, o setor médico já bradou pelo prontuário eletrônico, vários órgãos já estão atualizando seus sistemas e deixando tudo mais conectado. Já é possível, pelo menos em São Paulo, carregar o bilhete único e pagar o ticket de zona azul por app. O sonho é de um dia termos tudo concentrado em apenas um aplicativo. Por um mundo mais fácil, prático e dinâmico, sempre!

Fonte: Canaltech 

 

 

 

leia mais
Andressa NascimentoCHN eletrônica: Nossa vida mais conectada

A tecnologia evolui o mundo – evolua também

on agosto 16, 2017 Comentários desativados em A tecnologia evolui o mundo – evolua também

Se olharmos para trás e vermos tudo que conquistamos no mundo, especialmente com a ajuda da tecnologia, podemos nos considerar sortudos e muito felizes. A cada dia, temos mais facilidades que deixam o planeta todo mais conectado e mais dinâmico. Seria um ultraje querer voltar para os tempos antigos e tomar nossos dias com algumas burocracias, não acham?

Algumas pessoas ainda acham. O próprio presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse em seu Twitter que o e-commerce está prejudicando os varejistas “pagadores de impostos” e que as cidades estariam supostamente sofrendo o ônus de tudo isso. Será mesmo verdade?

Tecnologia gera desemprego?

Senhores, pensemos com a lógica. É pura matemática. As pessoas devem evoluir junto ao mundo para que se encaixem nas expectativas para tal proposto. É preciso se preparar. Pensar com o futuro. De fato, algumas carreiras podem ficar defasadas posteriormente por conta das mudanças. Mas mudar é bom.

Um exemplo: O setor de tecnologia da informação, por exemplo, cresceu no período da crise. Novas carreiras foram se formando com a crescida do YouTube, das marcas nas redes sociais e afins. O marketing está direcionado para o digital, as redações se voltaram para o online; Os médicos esperam contar com prontuários online, para poder acessar informações antigas de seus pacientes. Bancos já possuem agências online, facilitando – e muito – a vida dos clientes.

Vamos encarar a verdade: é hora de pensarmos fora da caixa. Se ficarmos despreparados nos lamentando das mudanças do mundo, vamos ficar para trás. E isso já é previsto, recentemente a Agência Estado comentou o assunto:

“O Brasil vai sofrer mais porque o país tem um contingente de trabalhadores despreparados”.

Todo mundo precisa trabalhar com tecnologia?

Não, isso também é óbvio. Ainda que seja o setor mais cresce no mundo, não são todas as pessoas que possuem vontade, dom, tempo para se voltarem para esta profissão. Mas o que deve ser feito, de fato, é ficar atento. Acompanhar as mudanças, o que acontece nas redes sociais. Ver o que de novo está saindo no mercado e tentar se especializar para acompanhar esta mudança.

Não é tão fácil, não é tão justo. Mas essa é a maneira que teremos para sobreviver. É como diz o famoso ditado: “camarão que dorme, a onda leva”.

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoA tecnologia evolui o mundo – evolua também

A grande sacada dos assistentes virtuais

on agosto 15, 2017 Comentários desativados em A grande sacada dos assistentes virtuais

Se olharmos para o passado, pelo menos meados dos anos 90, era muito comum que as pessoas utilizassem agendas para marcar informações importantes, compromissos e até mesmo datas comemorativas. Eram o nosso lembrete. Os mais arrojados, na época, ainda conseguiam ostentar sua boa e brilhante agenda eletrônica, que comportava uma série de números de telefones e, algumas, até faziam contas, como calculadora. O fato é que se olharmos de hoje, 2017, para esta época, parece que foi tudo uma mentira e que estamos inventando isso. Se observarmos bem, é difícil imaginarmo-nos sem acesso à internet e sem os nossos famigerados assistentes virtuais

Siri, da Apple, Google Allo, e tantos outros assistentes de smartphones, tablets e smartwatches hoje já facilitam – e muito – a vida de muitas pessoas, com lembretes, buscas rápidas e até mesmo dicas.

Assistentes virtuais mais que pessoais

É verdade que os assistentes atuais quebram um super galho, mas aparentemente a tecnologia quer evoluir tanto, a ponto de criarmos um clone nosso. Nesta semana, um novo aplicativo fez muito sucesso no mundo todo e foi um dos mais baixados nas lojas de apps. O ‘Replika’ permite que o usuário converse consigo mesmo para obter um assistente virtual mais personalizado e apto para suprir as necessidades do usuário.

Segundo o Techtudo, o Replika foi criado para ser um amigo virtual com a personalidade do usuário. Ao criar um perfil, a plataforma envia uma série de perguntas – como se fosse o início de uma amizade, mesmo – e a cada resposta o app vai ficando cada vez mais “íntimo” do usuário.

Aplicativo criado para superação de luto

Ainda de acordo com o veículo, a criadora do ‘Replika’ criou o app após passar pelo trauma da morte de seu marido, pois não tinha muitas fotos e informações em suas redes sociais para que ela lembrasse dele; A única forma de matar as saudades, era lendo as mensagens que eles trocavam através do aplicativo Messenger, do Facebook.

Black Mirror da vida real

Não tão longe deste relato, precisamos destacar um episódio da série Black Mirror que relata uma história muito parecida com a da criadora do Réplika. O capítulo em questão, chamado ‘Be Right Back’ conta a história de uma mulher que se vê sozinha ao perder o marido em um acidente e passa a assinar um serviço de assistência virtual que coleta os dados do falecido e transforma em frases.

Na história, a mulher pode inclusive conversar com gravações inteligentes que possuem (!!!) a voz do marido. É como se ele tivesse voltado à vida. Se quiser spoilers ou saber mais sobre o episódio, clique aqui. 

É claro que a série também dá um viés polêmico e assustador para quem assiste, mas a realidade é que a tecnologia, de fato, já chegou e já faz parte do nosso meio, da nossa rotina. É inegável que ela pode ajudar, sim, a superar tristezas, perdas, pode nos ajudar a ter ganhos, a ser melhor sucedido. Mas, é claro, como tudo: é preciso usar com parcimônia. Especialmente se utilizarmos para fins estritamente pessoais.

Fonte: Techtudo

 

leia mais
Andressa NascimentoA grande sacada dos assistentes virtuais

Vídeos estão na moda: Confira os novos apps que estão em alta

on agosto 11, 2017 Comentários desativados em Vídeos estão na moda: Confira os novos apps que estão em alta

Sabemos que os vídeos estão fazendo sucesso atualmente – basta ver o sucesso do Youtube e as brigas entre Instagram Stories, Snapchat e Whatsapp para ver quem fica com a maior audiência na hora da criação dos clipes. No entanto, o mercado não para por ai: mais apps estão chegando para aquecer ainda mais o setor.

Facebook aposta em vídeos

Que a gigante de Mark Zuckerberg inova todos os dias, já estamos carecas de saber. O Facebook parece mais uma avalanche, que quando avista algo interessante, chega derrubando tudo. Desta vez, a rede social aposta uma ficha alta e deve bater de frente com o Netflix.

No começo desta semana, o Facebook anunciou um novo produto chamado “Watch”, que se trata de uma plataforma de streaming que exibirá desde jogos e campeonatos até programas sobre safári.

Segundo o G1, a plataforma estará disponível, por enquanto, apenas para um grupo limitado nos Estados Unidos por meio do aplicativo da rede social, site e aplicativos de TV.

Saiba mais sobre o Facebook Watch aqui. 

Meio Youtube, meio Snapchat

Outro aplicativo que começou a fazer muito sucesso nesta semana é o Scorp. Inicialmente lançado em fevereiro de 2015, ele permite que sejam criados, em sua plataforma, vídeos de até 15 segundos; Estes são divididos por setores, como “comida”, viagens”, “relacionamento”, e afins.

Nestes vídeos, os usuários também podem receber respostas dos espectadores. Como disse o G1, é uma espécie de “fast-food de YouTubers amadores”, no qual o produtor é vlogueiro, o público também, e todo mundo tem muita opinião e edita em cortes rápidos.

Saiba mais sobre o Scorp aqui.

Se estes aplicativos vão vingar? Não podemos responder. O que podemos e devemos ficar alerta é sobre o crescimento das plataformas de vídeo. Afinal de contas, a nossa marca também tem que seguir as tendências apostadas nas redes sociais, certo?

 

leia mais
Andressa NascimentoVídeos estão na moda: Confira os novos apps que estão em alta

Apps na Google Play Store serão punidos se prejudicarem usuários

on agosto 8, 2017 Comentários desativados em Apps na Google Play Store serão punidos se prejudicarem usuários

Você baixa aqueles apps na Google Play Store e, logo depois dos downloads, eles começam a dar problemas, travando o celular, consumindo mais bateria do que o normal e com outras desvantagens capaz de tirar a paciência dos usuários.

Quem merece, fica à frente!

Para lidar com esse tipo de desconforto dos internautas, o Google decidiu punir aplicativos que estejam prejudicando os usuários Android. Uma das primeiras decisões é que aplicativos com melhor desempenho apareçam na frente daqueles de qualidade duvidosa.

Melhorar para não se complicar

Pensando nisso, a empresa ainda aprimorou seus algoritmos de busca e descoberta para analisar a qualidade do app. Ou seja, os aplicativos de qualidade superior serão exibidos na Google Play Store mais do que aplicativos similares de menor qualidade, como aqueles que exibem falhas frequentes.

Dados de desempenho, envolvimento de usuários e classificações de usuários também são fatores decisivos com relação a apps instáveis e prejudiciais aos clientes. Na busca, então, vale ficar atento nos resultados que aparecem primeiro, automaticamente mais confiáveis.

Olá, ostracismo!

Para os empreendedores, a dica é valiosíssima para que melhorem seus aplicativos. Afinal, quem não se aperfeiçoa fica, literalmente, para trás. Tal filtro ainda conta com as avaliações deixadas nos mais de um milhão de aplicativos disponíveis. Com isso, cada vez mais problemas – que, claro, não forem solucionados – deixarão o app cada vez mais invisível nas pesquisas.

Fonte: TechTudo

leia mais
Andressa NascimentoApps na Google Play Store serão punidos se prejudicarem usuários

Sarahah ajuda a oficializar o cyberbullying no século 21?

on agosto 7, 2017 Comentários desativados em Sarahah ajuda a oficializar o cyberbullying no século 21?

Há três anos, chegava para download o app Secret, que permitia a publicação de segredos de forma anônima. Polêmicas e polêmicas depois, os criadores deram um fim a ele. Agora, é a vez do Sarahah, que permite que internautas enviem mensagens anônimas diretas. Ah, e sem chance de resposta.

Elogios x ofensas

Elogios, paquera e declarações de amor, com a ajuda do anonimato, dão aquele empurrãozinho a quem tem medo ou vergonha para soltar o verbo. Em uma época onde os ataques – sejam eles gratuitos ou não – ganham forças descomunais quando receptor e remetente são separados por um computador ou um smartphone.

“Campo fértil para o ódio”

Já chamado de “um campo fértil para o ódio”, o Sarahah encontrou um campo fértil no Brasil, onde tem ganhado cada vez mais fama. Do cyberbullying usuários ainda podem soltar ou recebeu ofensas que debandam em racismo, machismo, misoginia e xenofobia, só para citar alguns.

Anonimato: queda ou ascensão?

Fugindo do seu propósito inicial, o Sarahah permite nas opções a marcação de não receber mensagens anônimas. Ah, e também permite que você revele sua identidade. Também é possível configurar o aplicativo para que seu nome não apareça nos resultados de busca, e, com este recurso ativado, somente as pessoas para as quais você enviou o link de seu perfil saberão qual ele é.

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoSarahah ajuda a oficializar o cyberbullying no século 21?

A necessária reinvenção para fugir do ostracismo

on agosto 4, 2017 Comentários desativados em A necessária reinvenção para fugir do ostracismo

ICQ, MSN, Orkut, MySpace e taantos outros aplicativos e redes sociais já passaram por nós desde o nascimento e boom da internet, nos anos 90. Uns se foram, outros ficaram, e uns ainda tiveram que inovar na reinvenção para não sumir do mapa de vez.

Desta vez, quem está na corda bamba é o Twitter. Afinal, os últimos resultados financeiros não são animadores, com uma perda dee US$ 116 milhões no último trimestre, número superior às perdas do mesmo período de 2016.

Posts impulsionados

Então, secretamente, tem testado publicações premium, com maior alcance e com a ajuda de usuários profissionais. Segundo Matt Navarra, usuário da rede social, a plataforma de anúncios do Twitter passou a oferecer a nova modalidade em fase beta para um pequeno grupo de usuários. A ideia é que, mediante o pagamento de US$ 99 mensais, o usuário tenha suas publicações promovidas automaticamente no microblog.

Ampliando horizontes

Para não cair no ostracismo e, consequentemente, na extinção, as empresas precisam inovar suas estratégias. As ofertas de publicidade, como as do Twitter, são um caminho, pois já permitem que empresas e usuários possam promover seus tweets para um público mais amplo.

Saber o que os usuários querem, conhecendo o perfil dos internautas, também faz com que alternativas eficientes elevem os gráficos de evolução das empresas. No Twitter, por enquanto, os usuários convidados da versão beta podem utilizar o novo serviço gratuitamente pelo período de 30 dias para só depois começarem a pagar o valor mensal.

E você, o que tem feito pela sua empresa para que ela não suma do mapa?

Fonte: Canaltech

leia mais
Andressa NascimentoA necessária reinvenção para fugir do ostracismo

Guia de segurança do wordpress

on agosto 3, 2017 Comentários desativados em Guia de segurança do wordpress

Desenvolver sites em wordpress é uma atividade trivial na maioria das agências hoje em dia e até lojas virtuais usando woocommerce. É a plataforma mais usada para desenvolvimento de sites no mundo, mas não temos um guia de segurança do wordpress organizado e estruturado sempre a mão.

A grande questão é manter o wordpress seguro, pois este virou alvo de muitos hackers, especialmente para distribuir malware ou enviar SPAM, usando sites invadidos.

Essa tarefa hoje é tão ou mais complexa do que desenvolver o próprio site em si, pois são tantas versões do wordpress, tantos plugins que surgem a todo momento e como esse CMS permite que um usuário comum faça sua manutenção, leva a crer que não precisa de uma empresa especializada, mas é aí que mora o perigo.

Manter site wordpress seguro virou coisa para profissionais e algo que deve ser constante e não mais passivo, ou seja, devemos ter uma atenção diária para ter certeza de que nada está errado.

Abaixo indico que nós da HTC fazemos nos sites em wordpress dos nossos clientes:

  • Criação de tema personalizado, sem uso de temas prontos, cheio de plugins e códigos que os hackers tem acesso
  • Instalação e configuração de SSL para ter navegação segura nos domínios usando Let’s Encrypt
  • Uso apenas de plugins homologados ou desenvolvimento próprio para cada projeto
  • Instalação de plugins de segurança como wordfence ou sucuri, com configuração avançada de firewall e brutal force
  • Instalação de captcha para dificultar o acesso de robôs
  • Configuração de login com dupla autenticação ou bloqueio do admin para um IP fixo, em casos mais críticos
  • Hospedagem dos projetos em um servidor da HTC na Amazon AWS, controlando ao máximo todas as vulnerabilidades que um hosting compartilhado não permite
  • Por último, temos sistema de backup diário na Amazon e no dropbox, que não tem relação com a segurança, mas sim na recuperação em caso de algum tipo de ataque

A ideia desse post surgiu, pois recebi um e-mail do Alex Grant, fundador da BestVPN.org, que criou um guia de segurança do wordpress, com muitas informações e dicas muito legais para leigos e mais experientes.

Se teve o seu site invadido ou quer o desenvolvimento de sites em wordpress com toda a segurança, fale conosco.

leia mais
htcGuia de segurança do wordpress

Dark web: o subsolo da internet e seus riscos

on agosto 3, 2017 Comentários desativados em Dark web: o subsolo da internet e seus riscos

Você tem acesso a tudo que o Google oferece e já acha que não existe nada impossível de encontrar na web, certo? Pois muita gente ainda não sabe da existência da dark web, considerada uma área mais obscura da internet.

Só a ponta do iceberg

Ali, muitas controvérsias, páginas proibidas e que vai muito além da superfície do que se vê, como uma espécie de iceberg, onde apenas 10% fica sobre a água e os outros 90% debaixo dela. A dark web faz parte da deep web, que tem sites que não são indexados pelos mecanismos de busca. A dark web, entretanto, não é acessada por meios convencionais.

Para isso, são necessários programas de P2P (peer-to-peer), como as populares redes Tor, I2P e Freenet, por exemplo, que são operadas por indivíduos ou organizações públicas — diferentemente do Google, que é um serviço de uma empresa privada.

Anonimato, sempre

Na dark web, o anonimato é cartão de visita, com acesso a atividades ilegais como venda de drogas e armas de fogo, venda de dados roubados e outras coisas do tipo. Mas também há muita coisa interessante: foi justamente na dark web que Edward Snowden expôs informações confidenciais do governo dos Estados Unidos que acabaram rodando o mundo.

Cuidado com os riscos

Lá está o Hidden Wiki, diretório de sites mais conhecido da dark web, e cada acesso – caso o internauta decida se arriscar – merece atenção especial: como a rede ali não é censurada, existe de tudo um pouco. E, por isso, governos de todo o mundo conseguem monitorar o Tor para realizar investigações criminais e derrubar sites que oferecem atividades ilegais. Portanto, você é o único responsável pelo que fizer na dark web. Se você ficar tentado em comprar alguma coisa ilegal por lá, saiba que, a qualquer momento, você pode ser investigado.

Isso sem contar que malwares e vulnerabilidades de segurança ficam escondidos em sites, prontinhos para se manifestar com os mais desavisados. Portanto, se você for apenas um curioso se aventurando no universo da internet obscura, pode ser interessante criar uma máquina virtual para o acesso, ou, ainda, utilizar um computador diferente daquele que você usa em seu dia a dia.

leia mais
Andressa NascimentoDark web: o subsolo da internet e seus riscos

Facebook rainha, o resto nadinha

on agosto 1, 2017 Comentários desativados em Facebook rainha, o resto nadinha

Pouco depois de sabermos que o Twitter tem corrido e feito mil manobras para sobreviver e vermos várias redes sociais se degladiarem por conta da função stories, uma pesquisa mostrou que o grande dono da bola é simplesmente o Facebook.

Segundo nota do Techtudo, a rede de Mark Zuckerberg é a mais acessada em todo o mundo e, não contente, é dona de três outras redes que compõem o ranking das cinco mais usadas. (Isso que é sucesso!)

Facebook no topo do ranking

A publicação aponta que o Facebook lidera o ranking com 2 bilhões de usuários ativos por mês, sendo seguido por Whatsapp (1,3 bilhão), Messenger (1,2 bilhão), WeChat (938 milhões) e Instagram (700 milhões).

Twitter não está morto

Ainda de acordo com a pesquisa, o Twitter segue em sétimo lugar no ranking, com 328 milhões de usuários por mês. Isso significa, na verdade, que ele não está morrendo ou perdendo usuários. Significa que ele não está crescendo como as outras concorrentes e que a medida que cresce, perde usuários ativos por mês.

De qualquer forma, ainda é uma rede social muito utilizada, e de lá saem os grandes memes da internet.

O que resta saber, agora, é quem será pareo (ou não) para o império de Mark Zuckerberg. Já dissemos aqui algumas vezes e repetimos agora: Ele cresceu porque sempre pensou em atualizar as funcionalidades de sua rede social para que, justamente, ninguém o ultrapassasse. De fato, funcionou.

Alguém vai querer competir?

Fonte: Techtudo

leia mais
Andressa NascimentoFacebook rainha, o resto nadinha